Um ano depois, os amigos do Coldplay Brasil abrem o álbum de memórias do show em São Paulo
Um ano depois, os amigos do Coldplay Brasil abrem o álbum de memórias do show em São Paulo

Nossos amigos abriram seus corações e contaram sobre os momentos que os emocionaram naquele dia.

Compartilhe
Publicado em 7 de abril de 2017 e atualizado pela última vez em 7 de abril de 2017 às 18:37.

Neste dia, há um ano, Coldplay se apresentava diante de mais de 40 mil pessoas no Allianz Parque, em São Paulo. Aquele dia 7 de abril ficou na memória de muita gente, e amigos que acompanham e estiveram com o Coldplay Brasil desde o começo decidiram compartilhar com a gente, nesta data especial, quais são as memórias que mais guardam com amor.

Enquanto muitos cantavam com todo o ar de seus pulmões, no estádio, outros não puderam ter tal felicidade. Foram muitas as pessoas que nos enviaram mensagens, muitas vezes desesperadas, perguntando se haveria outro show, ou onde poderiam comprar ingressos – muitos, empolgados com a ideia de realizar o sonho, acabaram caindo em golpes, veja nesta reportagem do Jornal da Record.

Felizmente, esse não foi o caso de Raelle Andrade, que não conseguiu ir ao show. Na época, ela ainda não fazia parte da equipe do Coldplay Brasil, e foi convidada para fazer a cobertura nas redes sociais enquanto todos estariam fora de casa para faze-lo, sendo, mais tarde, convidada a juntar-se ao time. Ela conta que, mesmo pelo computador, conseguiu sentir a energia do momento.

Outra grande parceira que também não pode presenciar o momento foi Taynara Neves – que fez parte da equipe entre 2013 e 2014, sendo uma das pessoas que tornaram possível a mudança de blog para site – e também foi convidada para, durante os dias de festa, voltar ao time.

Juliana Saronato – carinhosamente conhecida como apenas Xu – tem sido uma das grandes apoiadoras do CPBR e, inclusive, fez questão de vestir a camiseta que estampava o logo do site, durante o show. “Cada segundo e cada minuto ali foi eterno, principalmente quando chegou em Everglow, naquele trecho que dizia ‘So, if you love someone, you should… let them know'”, diz. “Naquele momento, eu olhei pra trás, vi meus amigos chorando, a gente se juntou e se abraçou… Isso é algo que não tem preço”, conclui ela.

A fã Letícia escolheu o momento em que entrou no estádio e realizou uma espécie de segundo sonho: conseguir ficar na grade, de frente para o palco. Ela registrou o momento de emoção com seus amigos e comenta que “ainda não superamos isso até hoje, depois de um ano inteirinho”. “Às vezes, parece que tudo foi um sonho”, disse Natália Dias, que acompanha o Coldplay Brasil desde 2013 e também escolheu um registro com amigos (inclusive este que vos fala), logo que o show acabou. “Parece que nada realmente aconteceu”, acrescenta.

O Felipe Lira relatou um momento único que vivenciou no show: um breve troca de olhares com Chris Martin. “E como se tudo já não estivesse perfeito ainda consegui trocar um rápido olhar com o Chris e seus brilhantes olhos azuis”, disse.

Já em um momento um pouco mais de “pânico”, digamos, a foto escolhida por Izabella Escher para ilustrar sua lembrança do show, é de quando chegou à grade, tirou uma foto no Snapchat – e a legenda saiu com uma letra trocada, de tanto que tremia.

Por Marcelo Monteiro
Aspirante a jornalista que ama música mas também sonha em ser publicitário. Como você pode ter percebido, sou libriano.