As cinco melhores músicas do Coldplay dos últimos cinco anos – Coldplay Brasil
As cinco melhores músicas do Coldplay dos últimos cinco anos

Para comemorar os cinco anos do Coldplay Brasil, uma lista com a melhores canções lançadas pela banda desde que o site estreou.

Texto Marcelo Monteiro
segunda-feira, 12 de Fevereiro de 2018

Nos últimos cinco anos, o Coldplay Brasil acompanhou todos os momentos vida profissional de Chris Martin, Jonny Buckland, Guy Berryman e Will Champion. Neste período, foram lançados dois álbuns, um EP, dois singles para a trilha de sonora de filmes, e mais de 100 shows ao redor do mundo foram realizados. Para comemorar o aniversário do site — que ocorre no próximo dia 18 —, iniciamos uma série de posts que irá reunir os cinco destaques em diferentes assuntos ao longo desses cinco anos. Para começar, reunimos as cinco melhores músicas lançadas pelo Coldplay nos últimos cinco anos.


5. “Miracles (Someone Special)”

A colaboração entre Coldplay e o rapper Big Sean é um flerte com a música oitentista e faz uma grande homenagem aos refugiados que chegaram nos Estados Unidos e acabaram sendo de grande importância para o país, tanto cultural, quanto historicamente. O vídeo enaltece a força de negros, mulheres e muçulmanos em uma grande demonstração de diversidade. A canção, que já aborda em sua letra a questão da motivação, também honra grandes nomes da história, como Nelson Mandela, Amelia Earhart e Muhammad Ali.

4. “Atlas”

A primeira canção da banda composta especialmente para a trilha sonora de um filme, Jogos Vorazes: Em Chamas, foi lançada em 2014 — o primeiro lançamento que o Coldplay Brasil acompanhou. De atmosfera sombria, introduzida por uma melodia melancólica, uma produção delicada e um final arrebatador, tanto a música quanto o lyric video serviram perfeitamente para a trilha sonora, carregados de referências da saga.

3. “Ghost Story”

Um grande hino injustiçado, que aparece apenas na edição de luxo do álbum Ghost Stories, como faixa bônus (comercializada apenas nos Estados Unidos), e no EP A Sky Full Of Stars, “Ghost Story” é uma faixa intimista e obscura cuja sonoridade remete aos primórdios da banda, com o acústico Parachutes, e a rebeldia de A Rush Of Blood To The Head. A letra ainda é um retrato extremamente pessoal de Chris Martin, em trechos como “Talvez eu seja apenas um fantasma, mais vazio do que as pessoas pensam”, “Qual o sentido em dizer ‘me socorra’ se ninguém ouve?”, “Qual o sentido em amar você se você não acredita que eu estou aqui?”.

2. “Up&Up”

A faixa que encerra A Head Full Of Dreams é um dos hinos mais poderosos que Coldplay produziu em sua carreira. (Ao contrário do que muita gente pensa), o bom e velho Coldplay de sempre: letra crítica e que, ao mesmo tempo, tem uma mensagem de união, trazendo um riff de Noel Gallagher e um coral composto por Beyoncé e as famílias de todos os envolvidos na produção; e um videoclipe indicado ao GRAMMY de Melhor Vídeo Musical e vencedor do MTV Video Music Awards de Melhores Efeitos Especiais, com uma edição impecável e repleto de efeitos especiais.

1. “All I Can Think About Is You”

Não é mentira quando a crítica diz que “All I Can Think About Is You” é a melhor canção do Coldplay em anos. Em um rápido — e certeiro — retorno às suas origens, onde cada integrante confiantemente toca os tradicionais instrumentos que cativaram os fãs mais old school da banda, a canção começa de forma silenciosa e cresce até atingir um ápice carregado de cordas, encerrando-a com um épico som rapsódico digno de deixar um estádio inteiro boquiaberto.