A corte das armas em "Guns" – Coldplay Brasil
A corte das armas em “Guns”

Faixa fala sobre o uso de armas através de uma fina linha azul da polícia

13.mar.2020

A coluna Por trás da canção apresenta uma série especial com análises das letras de faixas selecionadas de Everyday Life, o novo álbum da banda.


“Todas as crianças fazem pistolas com seus dedos e seus polegares”. De forma familiar com a realidade, “Guns” traz um julgamento crítico sobre a sociedade e sua necessidade por armas. A canção que abre a parte “Sunrise” do álbum Everyday Life, nos traz, em meio a solos de violão, uma opinião sobre o porte e utilização de armas.

Em entrevista à Apple Music, Jonny Buckland conta que Guns é provavelmente a faixa que soa mais “crua” que já fizeram, com voz, violão e um pouco de piano.

Roube dos playgrounds e tire dos sem-teto
Roube dos hospitais e aperte nas comunidades
Todas as crianças fazem pistolas com seus dedos e seus polegares
Anuncie uma revolução, forneça armas quando ela chegar
Estamos cozinhando os zeros, estamos fazendo todas as somas
O julgamento deste tribunal é
Precisamos de mais armas

Pare!
Tudo ficou tão louco
Tudo emaranhado em azul
Todo mundo ficou completamente louco
Talvez eu seja louco também”

A canção faz referências à uma fina linha azul da polícia que divide dois lados de cor preta. Muitas interpretações sobre os lados existem, como: um lado, caos, e o outro, ordem; um lado, a vida e, o outro, a morte; um lado, a sociedade e, o outro, o crime. E a linha azul são os policiais dividindo esse espaço. Na letra, o emaranhado em azul significa essa linha não sendo mais reta, e sim misturada entre os lados do “bem e do mal”.

O mesmo trecho dá a entender sobre a ideia de “blue” ser uma expressão para a tristeza, então, outra interpretação que pode ser dada é de que tudo anda muito triste, louco. Vale a sua interpretação favorita. 

Derretam todas as trombetas, todos os trombones e os tambores
Quem precisa de educação ou de ler A cidade do sol?
A pobreza é boa para os negócios, corte as florestas, elas são tão inúteis
Salve apenas seus semelhantes, e os outros que se fodam
É a opinião deste conselho que
Precisamos de mais armas

Trombetas, trombones e tambores são instrumentos de som muito alto, representando a força do som das artes. As artes são descartadas, assim como a educação, florestas e livros. E por falar em livros, a canção cita o romance A cidade do sol, de Khaled Hosseini.

O livro conta a história de Mariam e Laila, protagonistas que passam por muitas dificuldades enquanto mulheres no Oriente Médio. Nele, encontra-se passagens de medo, mas também de muita esperança e luta por parte das protagonistas.

“Guns”
Composição: Chris Martin, Jonny Buckland, Guy Berryman, Will Champion
Produção: Rik Simpson, Daniel Green & Bill Rahko
Teclado: Will Champion, StarGate, Federico Vindver, Daniel Green & Chris Martin
Violão: Chris Martin
Produção adicional: Federico Vindver & Angel López
Assistência: Pierre Houlé, Matt Latham, Erwan Abbas, Bastien Lozier & Baptiste Leroy
Assistência de masterização: Chris Allgood
Engenharia de masterização: Emily Lazar
Engenharia de mixagem: Rik Simpson
Redatora do Coldplay Brasil. Graduada em Letras (Português / Espanhol / Literaturas) pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do Coldplay Brasil e são de responsabilidade de seu respectivo autor. Utilizamos o Akismet para reduzir spam — entenda como seus dados de comentários são processados.

Deixe um comentário

Enviar sugestão
Reportar erro
© Coldplay Brasil 2012-2020 | Creative Commons | Política de Privacidade | DMCA
Desenvolvido por Marcelo Monteiro e inspirado no trabalho de Pilar Zeta e Rabbit Hole