A dor no coração e a cura: Chris Martin é capa da Rolling Stone de fevereiro – Coldplay Brasil
A dor no coração e a cura: Chris Martin é capa da Rolling Stone de fevereiro

Confira um resumo da entrevista.

8 to 9, 9 to 10.

9.fev.2016

Chris Martin está na capa da revista Rolling Stone norte-americana deste mês. Em entrevista, ele fala sobre seu relacionamento amigável com a ex-mulher Gwyneth Paltrow, sobre Beyoncé, a maneira como aprendeu a viver com os inimigos e orientar sua banda de volta em direção ao sucesso com o seu recente e triunfante álbum A Head Full Of Dreams.

Martin também falou sobre a emoção que sentiu ao ser convidado para fazer o que seria o maior concerto da carreira do Coldplay – o Super Bowl 50 – juntamente com Bruno Mars e Beyoncé. “Para mim, isso é o clímax de tudo”, diz ele.

Ele continua sendo amigo de Gwyneth Paltrow.
“Eu tive uma separação maravilhosa.” ele diz. “É um divórcio, mas é estranho. Eu não penso sobre essa palavra muitas vezes. Eu não vejo isso dessa forma e sim como você conhece alguém, vocês tem algum tempo juntos e as coisas simplesmente mudam.”

Ele é aberto a críticas construtivas, especialmente se vierem de Beyoncé.
Martin uma vez apresentou uma música para Beyoncé chamada “Hook Up” e a tocou no estúdio para ela e o produtor Stargate. Ela recusou de maneira mais doce possível, dizendo: “Eu realmente gosto de você, mas isso é terrível”.

Ele é aberto a novas músicas – e tendências de dança.
Os filhos de Chris Martin recentemente apresentaram à ele a música “Watch Me (Whip/ Nae Nae)” do Silentó. “Eu não tenho certeza se eu posso fazer o ‘whip’, mas posso fazer o ‘nae nae’ com os melhores” revela.

Ele se inspira no filme Rocky IV.
Rocky IV tem a sequência de formação mais impressionante de todos os tempos”, diz. “Eu acho que ele aciona o menino que eu era quando assisti e era como ‘Uau – se você quiser fazer alguma coisa, apenas levante umas toras!'” O filme também orientou a sua dieta vegetariana: “Se Rocky come, eu também como.”

Ele está ciente que você pode não ser um grande fã de sua banda.
“Tive uns anos em meados da década de 2000 onde tudo estava realmente confuso para mim”, diz ele sobre as piadas com o Coldplay. “Eu pensava, ‘Porque a nossa banda é, por vezes, uma piada?'”

Comentários

Os comentários não representam a opinião do Coldplay Brasil e são de responsabilidade de seu respectivo autor.

Deixe um comentário

*

Feito com e orgulho no Rio Grande do Sul